As sete virtudes opostas aos sete pecados capitais


As sete virtudes são derivadas do poema épico Psychomachia, escrito por Prudêncio, intitulando a batalha das boas virtudes e vícios malignos. A grande popularidade deste trabalho na Idade Média ajudou a espalhar este conceito pela Europa. É alegado que a prática dessas virtudes protege a pessoa contra tentações dos sete pecados capitais, com cada um tendo sua respectiva contra-parte. Existem duas variações distintas das virtudes, reconhecidas por diferentes grupos.

sete virtudes

 

Ordenadas em ordem crescente de santicidade, as sete virtudes sagradas são:

Castidade (latim: castitas) — opõe luxúria.

Auto-satisfação, simplicidade. Abraçar a moral de si próprio e alcançar pureza de pensamento através de educação e melhorias.

Generosidade (latim: liberalitas) — opõe avareza.

Despreendimento, largueza. Dar sem esperar receber, uma notabilidade de pensamentos ou ações.

Temperança (latim: temperantia) — opõe gula.

Auto-controle, moderação, temperança. Constante demonstração de uma prática de abstenção.

Diligência (latim: diligentia) — opõe preguiça.

Presteza, ética, decisão, concisão e objetividade. Ações e trabalhos integrados com a própria fé.

Paciência (latim: patientia) — opõe ira.

Serenidade, paz. Resistência a influências externas e moderação da própria vontade.

Caridade (latim: humanitas) — opõe inveja.

Auto-satisfação. Compaixão, amizade e simpatia sem causar prejuízos.

Humildade (latim: humilitas) — opõe soberba.

Modéstia. Comportamento de total respeito a Deus e em segundo lugar ao próximo.

 

Deixe seu comentário referente a este conteúdo.

Nome Completo:
Email:
Comentário:
Você pode digitar até 500 caracteres.